Televisão x Internet

As emissoras de TV dizem que a tragédia no Japão é a mais televisionada. Como era de se esperar, no país da tecnologia tudo foi gravado ou transmitido ao vivo. Tsunami em tempo real, inúmeras imagens do terremoto no youtube e atualização de informações via twitter, facebook e outras redes.

A tragédia foi acompanhada pela minha esposa, descendente de japoneses, durante todos esses dias via Ustream. As emissoras de televisão NHK e TBS estão transmitindo via streaming durante o dia todo. Pessoalmente, como morei no Japão, acompanho a tragédia com pesar porque tenho amigos e familiares no país. Já como jornalista, o que me espanta não é só a imensa quantidade de imagens, mas a desinformação e o sensacionalismo de uma parte da imprensa brasileira.

Beira o amadorismo ver uma apresentadora dizendo: “Olha ali, os carros estão queimando e agora a gente só consegue ver uma fumaça preta“. A impressão era de que o helicóptero estava ao vivo. Eu quase acreditei, mas no Japão já era noite e aquela luz era da manhã… Na cena seguinte descobri que era a mesma cena que eu havia visto 12 horas atrás. Isso é jornalismo ou enganação?

Tempo real
Quem quiser assistir aos canais da NHK em inglês ou japonês e o da TBS em japonês, seguem os links:

. NHK World
. NHK em japonês
. TBS em japonês

Ustream
O serviço de streaming gratuito é muito utilizado nos Estados Unidos. Na tragédia do Japão ela foi a melhor fonte de informação para o mundo todo. O canal da NHK em japonês, no primeiro dia, tinha mais de 40 mil usuários on-line (agora está com 73 mil). Já a NHK World em inglês tem uma média de 7 a 8 mil pessoas conectadas ao mesmo tempo.

No Brasil
A Globo News, na tragédia da região serrana no Rio de Janeiro, também liberou para não-assinantes a transmissão ao vivo. Embora seja importante, o diferencial de serviços como o Ustream é que as pessoas podem interagir via twitter ou facebook enquanto assistem às imagens.

Noticia velha no futuro
A notícia está cada vez mais perecível… Como será daqui a alguns anos? Se eu vejo uma imagem na internet e ela entra no telejornal só depois de cinco, seis horas, eu vou continuar assistindo TV? Será que a televisão conseguirá atingir a interatividade dessas transmissões como as do Ustream? Se as emissoras usam tantas imagens de internet, porque não ver a notícia no contexto real, em tempo real?

Imagens repetidas
A internet e a televisão têm mostrado sempre as mesmas imagens. A mais tocante, na minha opinião, só vi na TV japonesa. Encostada à barra de proteção de uma estrada, uma adolescente chora e chama pela mãe. Ela estava acompanhada de um familiar mais velho, mas sua mãe não havia sido localizada em meio aos escombros. A menina grita “Mãaaeee” para o nada…

Vivi no Japão e ver imagens do país em caos foi muito impressionante. Mas sei também que o Japão é organizado e tudo será reconstruído da melhor forma possível. Japão, ganbatte.

ARTIGOS RELACIONADOS:

Sensibilidade x Sensacionalismo – Como disse antes, as emissoras de televisão tem apelado ao sensacionalismo para mostrar uma tragédia que, por si só, já sensibilizaria qualquer pessoa. Mas existem profissionais que conseguem, com sensibilidade, transmitir a dimensão da tragédia. Continue lendo…

Profissão: videorrepórter – Vídeo jornalista, videorrepórter ou VJ é uma carreira já consolidada no exterior e que, aos poucos, passa a ter mais espaço no Brasil. No fim dos anos 80, a profissão recebeu o nome de “repórter abelha”. Já no exterior, a moda agora é ser Solo VJ. O que dá no mesmo, já que o videorrepórter trabalha praticamente Continue lendo…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s